Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

riscos_e_rabiscos

.

.

A vida continua.

Continuo ainda muito abalada e a tentar colar os cacos. Mas não tenho forma de agradecer a todos aqueles que se têm preocupado comigo, que me têm dado alento e que me alimentam a Esperança.
O fim de semana foi mais leve, a presença do N. teve um efeito paliativo e de conforto. Apesar dos pesadelos e das palavras que ouvi, de vez em quando, me invadirem a mente.
Começa uma nova semana e um novo recomeçar para mim. Está na altura de tratar do que é preciso, deitar fora o que é superfluo, limpar o computadr do que está a mais e, assim, eliminar o que me está a fazer mal neste momento.
E para começar, tomar um comprimido para a forte dor de cabeça com que acordei e que me está a incapacitar de fazer aquilo que é preciso.

Aos meus amigos.

Quero deixar aqui um agradecimento a todos aqueles que, assim que souberam do que me aconteceu, vieram em meu auxílio, que se preocuparam comigo, que mostraram a sua preocupação e amizade e que sei que estão ao meu lado para não me deixarem cair.

 

Os primeiros a quem tenho de agradecer é ao meu N. e à minha mãe que têm sempre a palavra certa para dizer no momento certo. "Tem calma", "tudo se há-de resolver" ou "logo arranjas outra coisa" são expressões que vindas deles têm um peso e um significado diferente. São o meu conforto, são aqueles que me continuam a dar motivos e palavras para alimentar a Esperança. São eles o meu pilar e que me dão alento e força para não desistir e continuar.

 

Depois chega a vez dos meus amigos: dos reais e virtuais. Obrigada à Sara, à Elsa, à Marta, à Cêzinha, ao Helder, à Susana, à Maria, à Marisa pelo "socorro" imediato, pelo carinho, pelas palavras amigas, de apoio, conforto e Esperança. Obrigada por estarem aí, sempre disponíveis, por também não me deixarem desistir e me incentivarem para ir à luta.

 

"Um amigo verdadeiro é alguém que crê em ti ainda que tu deixes de crer em ti mesmo."

(Autor desconhecido)

 

 

O Dia Depois.

Continuo muito abalada. Acordei cheia de dores de cabeça, a sentir alguma raiva. Ainda estremunhada, não sabia se o que me aconteceu era realidade ou tinha sido um sonho. Depois percebi que não era sonho nenhum!

 

Estou de "luto", é como me sinto. Parece que estou num limbo. Estes choques emocionais fortes deixam-me assim, sem acção e reação, adormece-me o cérebro. Talvez seja a forma que, inconscientemente, arranjei para me preservar, para me proteger.

 

O "amanhã" é sempre um novo dia e o tempo um bom conselheiro e quando aliado à esperança, pode ser que as coisas não pareçam tão más.

 

Apesar de tudo continuo a ter Esperança que as coisas melhores mesmo quando a vida nos parece mostrar sempre que não. Esperança é o que me faz andar para a frente.

 

Do Carácter.

Há vários tipos de pessoas neste mundo, entre as quais encontramos as ingénuas e as que têm  duas caras. As pessoas ingénuas são, em regra geral, sonhadoras, sem maldade, frágeis, sensíveis, carentes e acreditam nos outros.

 

Já as que têm duas caras, são ambíguas, falsas, dissimuladas, têm ar de quem não faz mal a uma mosca, aliam-se áqueles cujo carácter se apresenta duvidoso, procuram descobrir as fragilidades de terceiros para depois os manipularem e usarem em proveito próprio.

 

Um dia destes, estava eu a trabalhar muito sossegadinha e começo a assistir, incrédula, a uma cena completamente inesperada (pelo menos para mim). Foi a primeira vez que vi a "estrela" a distribuir o seu brilho - digamos assim em vez de "atirar-se"- para cima da pessoa ingénua.

Creio que o meu queixo nessa altura me chegou aos pés. Eu estava a assistir uma cena surreal e nojenta. Recusei-me a continuar a testemunhar aquilo, até porque me estava a sentir deslocada, e saí dali. Eu estava deveras espantada ao ver ocomportamento da estrela. Com o comportamento da pessoa ingénua não fiquei, compreendi.

Não comentei o que vi com ninguém. Apenas fiquei desperta para o que eu não tinha visto até ali.

 

Passou-se algum tempo e mais algumas ocasiões em que estivémos todos juntos. E eu continuei a ver aquele distribuir de brilho para cima da pessoa ingénua... e não só! Eu já sabia que o arrogante se babava por loiras falsas mas daquela maneira, não! E é tão falso quanto ela: à frente da esposa mostra-se um "menino comportadinho" mas assim que se encontra à solta, é um garanhão. Mas dali eu espero tudo.

 

Não tenho nada a ver com o que a estrela faz, com o facto de ela lançar charme para cima dos homens todos para eles ficarem a babar por ela. Isso só diz respeito a ela e ao... marido! Ah pois é...

Mas que acho injustíssimo o que ela está a fazer à pessoa ingénua, acho. Ela não tem o direito de usar e abusar dessa pessoa, dos seus sentimentos e da sua demasiada boa vontade. A estrela não quer nada com ela a não ser subjugá-la às suas vontades, fazer mais uma conquista masculina e ela aceita isto porque é ingénua e está "perdidamente apaixonada", confidenciou. E a estrela já percebeu isso perfeitamente e acho que se ela tivesse a mínima consideração por ele, afastava-se para não o fazer sofrer. 

 

Não estou a fazer nenhum julgamento e nem a meter o nariz onde não sou chamada, estou apenas a manifestar aquilo que sinto pelo que vi.

Um bocadinho de sinceridade e respeito pelo outro nunca fez mal a ninguém. Mas parece-me que, neste caso, alguém desconhece o conceito sde "sinceridade" e "respeito".

*Post #2 de esclarecimento ao post "Confirma-se".

Mês novo, vida nova...

... espero e desejo eu!
Este primeiro dia está a ser nem sei como. Sinto-me muito cansada, com um peso enorme em cima de mim.
Eu acho que isto deve-se ao facto de ter acordado no sábado às seis da manhã com uma dor de cabeça tão forte, mas tão forte que os meus ossinhos nem toleravam o toque.
Hoje também acordei cedo, ao contrário do que costuma acontecer ao domingo.
Pobrezinho do N. que hoje vai iniciar o "turno de verão" e começar a trabalhar à meia noite. 
Custa, mas pelo menos não morre assado no local de trabalho com as caloraças que fazem lá por baixo.
Ó Julho, vê lá se és amiguinho, se não trazes más notícias nem temperaturas altíssimas.
Mi surpreendji, vai!
Agora vou ali mandar-me para cima da minha cama...

Pág. 2/2